Menu
Menu de Cursos
27/04/2016

Evite transtornos com sua Declaração de Imposto de Renda!

Faltam dois dias para expirar o prazo de entrega da Declaração de Imposto de Renda 2016. 

Para quem não o fez ainda, apresse-se para não correr o risco de não conseguir enviar por problemas na ferramenta da Receita Federal. Se você já enviou, não se esqueça de revisar todas as informações listadas.

Para ambos os casos, as dicas abaixo são essenciais para evitar futuras dores de cabeça, principalmente com a temida "malha fina"

  • Declare todos os seus rendimentos, mesmos os feitos de forma autônoma ou empregos no qual você tenha ficado por pouco tempo.
  • Inclua em sua declaração a renda de todos os seus dependentes, mesmo que seu filho seja estagiário ou se seu pai receba aposentadoria. Se ele é seu dependente, você deve declarar.
  • Declare apenas as despesas médicas que você tenha os comprovantes. A Receita pode pedir a comprovação de todas as despesas que você declara.
  • Se você é aposentado, não se esqueça de informar sua renda vinda da aposentadoria. O INSS declara os pagamentos à Receita, e omitir essa informação pode colocar sua declaração na malha fina.
  • Sempre declare os mesmos valores que constam no comprovante de rendimentos fornecidos pela sua fonte pagadora.
  • Fique muito atento ao digitar os valores em sua declaração. Ao colocar os centavos, sempre utilize a vírgula para separar dos reais.
  • Nunca atualize o valor de sua casa, carro ou outros bens pelo preço de mercado. Os bens sempre devem ser declarados pelo custo de aquisição. Você só pode atualizar o valor de um imóvel, por exemplo, no caso de uma reforma, para justificar as despesas.
  • Se você recebe renda de aluguel, ela deve ser declarada, pois é rendimento tributável, independentemente do valor. Já o inquilino deve informar o pagamento na ficha Pagamentos Efetuados
  • Quem recebe pensão alimentícia precisa declará-la, independentemente do valor. E quem paga, deve incluir integralmente o valor pago em Pagamentos Efetuados, desde que uma decisão judicial ou acordo homologado em cartório assim o solicite.

Se você descobriu algum erro em sua declaração, faça o quanto antes uma declaração retificadora o quanto antes para evitar cair na malha fina. Você pode fazê-la no prazo máximo de cinco anos, apenas no caso de que sua declaração não esteja em processo de fiscalização.

Fonte: uol.com.br




Comentários

Últimas Notícias

22/08/2019

12/12/2014 10:30:20  Mensagem de Alegria
 1 2 3 4 5  ...  

© 2010 - Todos os Direitos Reservados | Instituto Monitor
Central de Atendimento: (11) 3555-1000

atos legais de credenciamento e autorização: processo n.004/2005 e Parecer n.252/2005 do CEE-SP, publicados no DOE-SP em 30/07/2005, Processo n.39/2008 e Parecer n.675/2008 do CEE-PR de 05/11/2008. Filiado a Associação Brasileira de Educação a Distância - ABED. Sede da Escola: Av.Rangel Pestana, 1105, Brás - São Paulo, SP - CEP 03001-000, Correspondência: Caixa Postal 1220